Você está aqui

Azambuja diz que reajuste depende da negociação de dívida com a União

Conversa com servidores será no próximo dia 3

O governador de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja (PSDB) anunciou nesta segunda-feira (19), que o reajuste dos servidores depende da renegociação da dívida do Estado com a União. 

No último dia 13, o presidente Michel Temer (PMDB) autorizou os Estados a renegociarem as pendências diretamente com o BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social).

A autorização aconteceu durante jantar com governadores. Na ocasião o presidente autorizou que Mato Grosso do Sul faça negociações para ter prazo de mais 10 anos para quitar a dívida. 

O governador justificou ser necessário aguardar o cumprimento da resolução do Senado para que as dívidas sejam alongadas e diz que a definição sobre o reajuste dos servidores depende dessa questão.

“Não tem percentual [de reajuste]. Vamos aguardar o rito e no dia 3 de julho teremos a última conversa com os servidores”, afirmou.

Até o fim do ano passado, Mato Grosso do Sul tinha montante de R$ 7 bilhões em dívidas com a União, parte desse valor é devido ao BNDES. Uma das contas diz respeito a empréstimo feito pelo Governo ainda na gestão André Puccinelli (PMDB) em busca de recursos para implantar o programa MS Forte.

Tópicos