Você está aqui

"Ela era arisca", diz dono de pet shop após sumiço de cadela

Depois de levar a cadela para tomar banho, o dono do pet shop ligou informando o sumiço 

  • Lana, a cadela desaparecida (Divulgação/Arquivo Pessoal)

Cliente a quatro anos de um pet shop localizado na Rua Solto Maior, no Bairro Tijuca, em Campo Grande, a enfermeira Adriana Rosa Medina Pires, de 30 anos, não imaginava passar pelo transtorno que enfrentou na tarde desta sexta-feira (27).

De acordo com Adriana, horas depois de levar a cadela Lana, de quatro anos para tomar banho, o dono do estabelecimento ligou informando que seu animal de estimação havia desaparecido.

Segundo informou a dona do animal, sem prestar maiores detalhes, o proprietário do pet shop disse que a cadela conseguiu abrir o portão do local, que segundo Adriana é todo envolto por grades, e saiu em direção às ruas da região, porém, a mulher afirma que em diversos momentos o empresário se contradiz ao tentar explicar o que de fato aconteceu.

“Pra cada um ele fala uma coisa diferente, e enquanto isso nós ficamos aqui sem saber o que fazer”, disse.

Pet Shop

Em entrevista ao Jornal Midiamax, Arlei de Almeida Martins, de 50 anos, proprietário do pet shop alegou que Lana, a cadela desaparecida, sempre apresentou um comportamento arisco, em especial no dia do sumiço. “Ontem ela até tentou morder a mão da minha funcionária”, lembrou.

O empresário que está apenas a quatro meses trabalhando com animais disse que no momento em que preparava o animal para ser entregue, a cadela pulou da caixa e fugiu para rua, sendo impossível recuperá-la.

Arlei disse que todas as providências para tentar encontrar a cadela estão sendo tomadas. “Tenho feito de tudo pra encontrar a cadela. Não houve descaso, mas infelizmente aconteceu”, explicou. Segundo o empresário, caso a cadela não seja encontrada, ele estará a disposição para um acordo com a família. 

Tópicos