Você está aqui

Policial é suspeito de matar a irmã a tiros após briga dentro de casa no Rio

Morte ocorreu após discussão sobre inventário de casa da família

Um policial civil foi preso na noite deste domingo (8) suspeito de matar a própria irmã a tiros após uma briga dentro de casa em Humaitá, no Rio de Janeiro (RJ). O desentendimento foi motivado por uma discussão envolvendo o inventário de uma casa da família.

Segundo noticiado pelo G1, Fernando Rogério de Souza Melo trabalhava na Polícia Civil há 15 anos, após uma discussão sobre o imóvel onde vivia, que está em processo de inventário, ele pegou uma das armas que coleciona e atirou na própria irmã. Glória Fabiane, que também era policial, foi atingida e socorrida para o Hospital Miguel Couto, mas não resistiu aos ferimentos.

O outro irmão de Fernando e Glória acusou o Corpo de Bombeiros de negligência no caso. "O Corpo de Bombeiros não quis socorrer, passou as ocorrências para o Samu, que estava lotado", questionou o familiar dos envolvidos.

O Corpo de Bombeiros negou a falta de socorro e afirmou que foi chamada por volta das 21h30 e que a ambulância retornou para o quartel do Humaitá por volta das 23h30.

O policial foi preso e levado para a 10ª DP, no Botafogo, e encaminhado para unidade de psiquiatria do Instituto Philipe Pinel.

De acordo com a mulher do suspeito, cunhada da vítima, foram mais de 30 minutos de briga e tiros.

Tópicos