Você está aqui

'Ele está muito magro e desnutrido', diz mãe de ‘menino do Acre’

Filho não revelou onde estava

Apesar de ter voltado para casa, o mistério sobre o que aconteceu com Bruno Borges, o “menino do Acre”, ainda não acabou. A empresária Denise Borges, mãe do estudante de psicologia, disse que o filho não quis contar onde esteve durante os quase cinco meses em que passou desaparecido e sem dar notícias à família.

A mãe do rapaz de 25 anos contou ainda que está explicando aos poucos ao filho tudo o que aconteceu enquanto ele esteve afastado. Também disse que a aparência de Bruno mudou um pouco.

"Está muito magro e desnutrido. Ele não sabe de nada do que estava acontecendo. E não podemos mostrar tudo de uma vez".

Uma das especulações sobre o desaparecimento do rapaz seria de que ele buscava uma forma de se expor na mídia e divulgar seus livros. Denise, no entanto, falou que a postura de Bruno tem sido outra. "Ele continua a dizer que não quer saber de mídia, e a única coisa que gostaria é que seus conhecimentos e suas vivências fossem lido por todos".

De volta à casa dos pais, a mãe do estudante de psicologia disse que “ele tem lido muito a Bíblia e está mais próximo ainda de Deus”.

Bruno também leu o primeiro livro que ele mesmo escreveu. A publicação está entre os mais vendidos do país na categoria "não ficção". Apesar disso, a opnião do jovem sobre a obra pode ser controversa. "Ele disse estar muito errado".

O “menino do Acre” desapareceu em 27 de março. Ele morava com os pais e a irmã em Rio Branco. Após o sumiço, familiares do rapaz encontraram as paredes do quarto todas pintadas e com escrituras, além de 14 livros escritos à mão e criptografados e uma estátua em tamanho real do filósofo Giordano Bruno avaliada em R$ 7 mil.

Tópicos