Midiamax
BUSCA: 
 Capa

 Últimas Notícias

 Pimenta no Reino

 Transparência

 Política

 Polícia

 Emprego

 Tecnologia

 MidiaMAIS

 Esportes

 Geral

 Mundo

 Brasil

 Agronegócio

 Economia

 Cultura

 Cinema

 Entretenimento
Articulistas



Blogs
 Fernando Soares
Mais Lidas
01 Empresário é encontrado morto dentro de açougue no Bairro Caiçara

02 Bombeiros socorrem travesti encontrada esfaqueada no centro de Campo Grande

03 Jovem descobre, após morte do pai, Fusca misterioso conhecido como ‘Afrodite’

04 CGU aponta improbidade e tráfico de influência de Mandetta durante mandato de Nelsinho

05 Filho de empresário encontrado morto em açougue diz não acreditar em suicídio

Espaço do Leitor
Espaço do leitor
Acesso Fácil
Faça da Midiamax sua página inicial

11/02/2014 22:15

Esquiadora faz vídeo e fotos de topless e causa polêmica no Líbano

Aumentar texto Diminuir texto

Terra/DN

Reprodução

A esquiadora libanesa Jackie Chamoun, que disputa os Jogos Olímpicos de Inverno, em Sochi, deu muito o que falar nesta terça-feira, não pelos resultados esportivos, mas sim pela divulgação online de um vídeo no qual ela aparece fazendo topless, o que levou seu país a exigir uma investigação.

No vídeo, publicado no site Youtube, mas que logo se espalhou pelo Twitter e pelo Facebook, a atleta, 22 anos, aparece com os seios à mostra e vestindo apenas uma calcinha durante uma sessão de fotos para um calendário. Nas fotos, a esquiadora tapa os seios com os esquis.

Após uma avalanche de comentários na internet, a maioria contrários à atitude, a especialista em slalom pediu desculpas via Facebook pelo ocorrido, explicando que só havia autorizado a publicação das fotos, e não do vídeo. "O vídeo era parte do 'making off' da sessão de fotos. Não deveria ter sido publicado", escreveu.

"Queria pedir desculpas a todos vocês. Sei que o Líbano é um país conservador e que essa imagem não reflete nossa cultura", continuou. "Tudo que peço é que parem de divulgar o vídeo, porque isto não me ajudará na minha concentração para o que é mais importante neste momento: meu treino e a competição", pediu a atleta.

Mas, longe de obedecer ao desejo da esquiadora, o ministro da Juventude e do Esporte do Líbano, Faycal Karamé, reagiu pedindo ao Comitê Olímpico Libanês que investigue o caso com o objetivo de "proteger a reputação do país".

O Líbano é considerado um dos países mais abertos do mundo árabe em relação à liberdade de vestimenta e ao consumo de álcool, mas grande parte da sociedade ainda é profundamente conservadora.

Contudo, Chamoun, que já competiu nos Jogos Olímpicos de Vancouver, em 2010, recebeu também mensagens de apoio através das redes sociais. "Você tem o direito de fazer o que quiser. O Líbano não é um país conservador, é um país esquizofrênico", dizia uma delas.



Comentários (0)

 
Deixar comentário
14h10
Para entrar para a história: Cruzeiro e Atlético fazem 'clássico do século'
Loteria
Mega-Sena acumula e pode pagar R$ 7,5 milhões no sábado
Entrevista
Diretor do CRA fala da importância do profissional administrador na gestão pública